•  

    quarta-feira, 31 de julho de 2013

    Nikki - Switched at birth.


      Aaaaaaaah já fazia um tempo que eu queria fazer um post dedicado a essa garota...
    Ela interpreta a personagem Nikki na série Switched at Birth da ABC family.
    Nikki é linda, tem uma voz angelical tanto pra cantar quanto pra falar, e no começo eu até gostava dela (um pouco, nada demais) mas agora ela me irrita tanto, que eu tenho vontade de desligar a TV cada vez que ela aparece na série.
    Toby depois de terminar com a Simone, passa por uma fase de "mandar tudo ir a merda", e acaba conhecendo Nikki na igreja que sua mãe conseguiu um show para ele.
    Nikki e ele por terem a música como interesse, se aproximam. Eis o "problema": Nikki é cristã, e MUITO cristão, ao contrário de Tobby que é daqueles que duvidam da existência de um ser superior.
    Antes que me chamem de preconceituosa, e que digam que estou falando isso porque sou atéia, não é. Nikki desde que apareceu na série era cristã, e como disse, no começo gostava dela, até ela me deixar louca com sua religiosidade acima de tudo.
      Pra começar, ela fez o voto de castidade, onde faz um juramento dizendo que perderá sua virgindade depois do casamento. Até aí, tudo bem. Mas o Toby a questiona, dizendo que não entende porque duas pessoas que se amam, se respeitam e sentem vontade não podem selar isso, e ela explica... Bem, explica do jeito dela.
      Ok, Toby a respeita e tudo vai muito bem mesmo com a diferença de religiosidade entre ambos. Fica até bonitinho os dois juntos, ela diz o primeiro "eu te amo" para ele no dia dos namorados, e ele retribui algumas horas depois dizendo sentir o mesmo. Pois bem, a garota surta, termina com ele no dia dos namorados dizendo que a religião é tudo pra ela, e como ele não é cristão nunca daria certo e ambos acabariam se machucando mais lá para frente.
    Ele tentou argumentar dizendo que isso não era importante a ponto de separá-los, mas a garota discorda e vai para casa.
      A série se passa e Nikki some (graças a deus), e Tobby chega até se interessar por outra garota (outra furada, e quando ele percebe que era furada, liga pra Nikki). Toby tenta reatar o namoro, custa um pouco, mas a garota acaba cedendo, porém, com todas as suas regrinhas, Toby acaba pedindo ela em casamento agora que completou 18 anos, e SURPRESA: ELA ACEITA!
      Toby desiste da faculdade, começa a trabalhar no lava-jato do seu pai e planeja tudo para o casamento. (TUDO ISSO É A VONTADE DE TRANSAR, não é mais fácil namorarem, transarem, e serem felizes assim)?. Toby acaba se afastando de sua irmã, e vendendo seus instrumentos musicais (a paixão dele) para bancar o casamento, já que a querida da Nikki não quer ajuda nenhuma dos pais dele (que são milionários), mas claro, quem trabalha o dia todo e está se desfazendo das coisas é o Toby, pra ela as coisas continuam na mesma.
      Comecei a me estressar muito com isso, e não só eu, como a Bay (irmã do Toby), ela tenta argumentar que a garota está mudando ele.
      O ponto forte da série foi quando Bay consegue um show para eles, eles arrasam, a multidão aplaude e pede bis, mas Nikki dá uma de louca e abandona o show falando que eles marcaram um compromisso com o Reverendo. Tobby tenta argumentar, pedir para a garota ficar que eles remarcariam depois, ela o deixa falando sozinho, mesmo ele dizendo que existem coisas acima da religião (e ela diz que pra ela não). 
      Minha paciência acaba quando ela começa a trabalhar com o pai de Toby, Bay e Daphe e quando o senador (pai delas) diz sobre apoiar a tirar a aula de Educação Sexual nas escolas, ela aprova, deixando Daphne puta e de boca aberta, dizendo que isso aumentaria a chance dos adolescentes pegarem DST, e engravidarem. A loirinha rebate dizendo para ensinarem sobre abstinência sexual, e que não a nada de errado em esperar por um parceiro logo depois do casamento (Isso porque a Daphne já transou com uns 3 caras, imagina como ela não deve ter ficado puta), e vamos combinar entre nós, é uma puta ignorância, porque adolescentes continuarão fazendo sexo, e sem saber de muitas coisas que as escolas americanas ensinam nessas aulas (ALIÁS, eu sou super a favor dessas aulas aqui no Brasil, porém, não tem). 
      Nikki começa a mudar, impondo sua religião para toda família de seu noivo, e principalmente para o próprio noivo, mas Toby não é facilmente influenciável. Além da família odiar esse casamento precoce, agora sofrem lavagem cerebral de uma garota de 18 anos. 
    O problema nela se tornou quando ela quis impôr sua religião, quis que todos a seguissem e a respeitassem. LEMBRANDO QUE, Toby respeita ela e sua religião COMPLETAMENTE, inclusive já chegou a dizer para ela que admira isso nela, e acha lindo, mas quem não está respeitando ele, É ELA! Ela não respeita no que ele acredita ou deixa de acreditar. O ruivinho já fez de tudo para esse relacionamento dar certo, mas ela não está cooperando. 
      Ele tentou reatar, vendeu seus intrumentos, tá fazendo turno extra no trabalho, abandonou a ideia de ir para a faculdade, vai fazer o casamento do jeito que ela quer, a pediu em casamento com 18 anos para poder viver e transar com ela, maaaaaaaas, ela continua pressionando, pressionando, pressionando, e quem vai explodir sou eu!

    Porém, quando fui pesquisar sobre ela, descobri que não sou a única irritada e que está com raiva da personagem. Várias pessoas em fórum não estão suportando a personagem, e chegamos a conclusão que a série está a colocando como vilã, e o casamento não acontecerá, principalmente depois do Toby reencontrar a Simone e ficar meio mexido.
    Nos últimos episódios Toby se mostra confuso com o que quer. Vendo um amigo da faculdade chegando no carro com várias garotas, a cena mexe com ele, ele liga pra faculdade e pede pra deixar o nome dele na lista de espera... Toby está mudando a cabeça, e espero realmente que esse casamento não aconteça e não vá para frente.
    Já não basta o meu Emmett e minha Bay separados, e agora vou ter que aguentar um casal infernal juntos?
    Juro que prefiro até a Simone do que ela.


    @nati_nina

    segunda-feira, 29 de julho de 2013

    Melhores fotos da semana.









    @nati_nina



    Cam (Modern Family) 

    sexta-feira, 26 de julho de 2013

    Spring Breakers



    Eu queria muito ver Spring Breakers, desde que descobri que a linda da Ashley Benson (Pretty little liars) iria fazer o filme. Eu esperava um filme bem de adolescente, tranquilo, mas enfim, me surpreendi.
    Tudo começou quando eu comecei a legendar o filme, peguei um slot, e um slot BEM de putaria, e fiquei de boca aberta. Quem vê a linda da Hanna no PLL e depois nesse filme, não acredita. E não só ela, como também a Vanessa Hudgens em High School Musical e nesse filme, e também a Selena Gomez, sempre uma fofinha, queridinha, e enfim... Fica meio difícil de acreditar.
    As cenas são MUITO fortes, acreditem!
    Pois bem, eu estava ansiosa para ver o filme, então vi com minhas irmãs e o meu cunhado.
    QUE FILME DECEPCIONANTE!
    Já começa com peitos, bebida, sexo... Meu cunhado assistiu 20 minutos, desistiu, e foi ver Prison Break no quarto. Eu e minhas irmãs continuamos firmes e fortes.
    O foda é: O filme não tem história NENHUMA, a não ser 4 meninas que queriam passar o verão no spring breaker, não tinham dinheiro e viram assaltantes para conseguir irem pra lá.
    É ISSO, chegam lá e é só putaria, putaria, putaria, putaria, putaria, that's all.
    Pensei até no filme "Aos 13", mas simplesmente não tem comparação. Aos 13 tem toda uma história, todo um desenrolar, pelo que lembro, inclusive, não mostra nudez. Mostra droga, decisões erradas, a batalha que uma mãe viva com uma filha adolescente com uma má influência, e enfim...
    Spring Breakers não, não tem história, não tem nada.
    O único que tem destaque no filme é o James Franco (127 horas), ele está irreconhecível com seu novo papel, e mostra mais uma vez um SHOW de atuação!

    Mas, eu diria para assistir e tirarem suas próprias conclusões, se vocês forem pesquisar, as críticas estão sendo boas, talvez eu não entenda de muita coisa. Que fique claro que não estou levando em conta algumas coisas como fotografia, edição de imagem, e esses blá blá blá todos. 
    Se não fosse pelos nomes: Vanessa Hudgens, Ashley Benson e Selana Gomez, seria apenas mais um filme ruim que pouquíssimas pessoas teriam acesso ou saberia, inclusive, que existia.
    A outra garota, coitada, ninguém sabe quem é. E sinceramente, cagaram na história dela. Uma das mais putas e sem vergonha, depois de um acontecimento fica toda mimimi e decide voltar para casa. OK, TÁ!
    Está longe de ter o mínimo de conteúdo e roteiro.

    O Spring Breaker pra quem não sabe existe realmente nos EUA, e digamos que acontece bem essas coisas mesmo, se não for pior.
    BOM, o lado bom de tudo isso é que eu entendi finalmente porque a linda da Ashley Benson cortou sua maravilhosa cabeleira em Pretty little liars. Ninguém entendia como aquele cabelo maravilhoso foi parar em chão de cabeleleiro na 2a temporada. E agora está finalmente explicado: Para ela poder fazer essa merda de filme.



    @nati_nina



    @nati_nina


    quarta-feira, 24 de julho de 2013

    O decaimento de Pretty Little Liars.


      Vamos falar de Pretty Little Liars. Já faz um tempinho que quero escrever sobre a série.
    Sempre gostei muito de PLL, comecei a ver por indicação de um amigo, e fiquei viciada logo no primeiro episódio.
      É o tipo de série que você não consegue ver apenas um capítulo e quer sempre mais e mais.  No começo, assim como a maioria das pessoas, achei que PLL fosse infantil, ainda mais por passar na boomerang, mas não é! Com um suspense do jeito que eu gosto, e com as garotas mais fofas de Rosewood, elas me encantaram, bom, pelo menos até a 3a temporada, elas me encantaram...
      Vamos por parte: O amor a primeira vista foi a Aria. Como não se apaixonar por uma história de amor tão linda entre um professor e uma aluna? 
    A Aria começou a me tirar do sério quando deixou seus pais controlarem sua vida, sem tomar nenhuma atitude ou posição as ameaças. A partir de então, e logo no começo, fui me apaixonando pela Hanna, a atual atriz do filme estrondoso (e hondioso) Spring Breakers.
    Hanna além de ser a mais linda de todas, é uma das que mais tem coragem, seus trocadilhos e piadinhas internas nos laçam. E a relação que a loira tem com a mãe, é de se admirar. Hanna foi a única que deu uns tapas bem dado na cara da Jenna, que se jogou na frente do carro quando descobriu da "cegueira" e enfim... Sem contar os flashbacks do passado da "Hanna gordinha" e o melhor episódio dela, comendo os cupcakes de porquinho (Óinc óinc, como diz o bilhete da -A). 
      Logo depois veio a Spencer no meu coração, mostrando entre todas ser a mais forte, com a maior disposição, e o que não é segredo pra ninguém, se destacando em sua inteligência. O engraçado é que no começo eu não gostava NADA NADA da Spencer, por ela ter tido um lance com o Ian e o Wren, sendo os dois comprometidos com sua irmã. Mas a Spencer foi conquistando o meu coração, e entre todas, foi a que fez raíz definitiva dentro dele. Não é a toa que Troian ganhou um papel absurdamente maior e destacado a partir da 3a temporada! Fico feliz de não ter sido a única a ver e apreciar o talento que essa linda atriz mostrou no seriado!
      Emily para dizer a verdade nunca fui fã, é a mais sem sal para mim. Não que eu não goste dela, tem dias que fico com o queixo caído com algumas cenas dela. A beleza dela é totalmente exótica e diferente das outras garotas, e consegue ser sempre a mais LINDA em todos os episódios de Halloween, porém, como disse diversas vezes a "A", ela é a mais fraquinha do grupo, apesar de estar mostrando um outro lado nos últimos episódios.

      Ok, terminando de falar de todas elas, PLL conquistou meu coração e meu tempo! Não me entendam mal, eu ainda amo PLL, e faz parte das minhas séries prediletas, cheguei a cogitar (inclusive em um vídeo) que empatava minha preferência entre ela e Lost (o que agora não é mais verdade), e cheguei a deixar The Walking Dead atrás de PLL (o que também, definitivamente, não é mais verdade). Mas PLL caiu de ritmo, e está me deixando triste. Parece que de vez em quando elas subestimam o público que assiste e principalmente nossa inteligência.
    A série andava ótima com o mistério da -A, mas acho que depois que descobriram ser a Mona, deviam ter parado por aí, inventado alguma outra coisa, e tirado a -A de jogo, sei lá, focasse no fato se Ali ainda estava viva ou não, enfim... Eles embaralham muito as coisas, e não conseguimos mais lembrar das pistas do passado, e até agora não entendi o papel da Mona nisso tudo.
    Quer dizer, ela era a A, que mandava mensagens, fazia as coisas, tinha o seu covil, e odiava a Ali. Até aí, tudo bem. Mas quando ela foi pega, as coisas continuaram como se ela NUNCA tivesse sido a A, nada mudou, as mensagens, o famoso "kisses"no final, as mesmas palhaçadas. Foram como se eles pensassem assim:

    - VAMOS COLOCAR A "A" COMO MONA.
    Beleza.
    (Um episódio depois)

    - NÃO, NÃO, ME ARREPENDI. Não quero que seja a mona, mas não tem como consertar, então vamos dar uma cagada nisso tudo.

      Perdeu o foco total! Agora pelo que parece, é um clube com um milhão de pessoas que odeiam as garotas, e podem ter matado a Alison! O pior é que os principais suspeitos sempre morrem, mas essa merda continua na mesma, sem nada mudar. ISSO PORQUE todos já foram suspeitos. Do faxineiro da escola até as garotas principais da série.
      Quero falar do sumiço que eles dão nos personagens também, sem colocar uma explicação:
      A mãe da Emily, o irmão da Aria, o Wren, a loirinha amiga da Alison que parece muito ela, enfim... Eles botam tanto personagens na séries, e tiram eles DO NADA, ficam uma temporada inteira sem aparecer, 2, e depois voltam como se nenhum sumisso tivesse acontecido.
    Isso não é legal, é confuso, e é desrespeitoso. DECIDAM quem vocês querem no elenco, permaneçam com eles, ou tirem de uma vez, PORRA! Agora o sumiço da vez é do meu queridíssimo professor, Ezra. 
      
      A 4a temporada prometia muita coisa, ainda mais pelo season finale da terceira, mas foi decepcionante, tudo. Não desvendou porcaria nenhuma, no porta malas não havia nada, até então a suposta A não deu as caras, e o assunto da Alison não tá sendo mais nem levado em conta. Tá um saco, tá parado, e o único episódio com um pouco de emoção foi um só quando o Toby e a Spencer vão para uma Vila Macabra tentar descobrirem alguma coisa lá que o papagaio falou! SÓ! 
    Sinto saudades dos flashbacks, do foco ficar em quem matou elas, e não com o drama da mãe da Hanna, dos pais da Emily, dos novos peguetes da Aria, ou com o namoro da Spencer.
    Espero mesmo que essa seja a última temporada, ou no máximo a 5a, e que eles achem uma solução para TODOS os buracos que eu tenho certeza que vão ficar.
    Aliás, que eles achem uma boa explicação PARA TUDO, desde o envolvimento do IAN (que morreu na torre misteriosamente) até quem era aquela maldita loira no incêndio.

     JÁ PENSARAM se cancelam a série (o que não vai acontecer, mas...) e ficamos sem descobrir TUDO? Porque é MUITO a cara da ABC pegar uma série, ficar uma temporada ou no máximo duas, e cancelar sem dar nenhum final, deixando puto os fãs. Como aconteceu recentemente em The Lying game (e olha que TLG é bem famosinho, até no top 71 do vídeo que fiz entrou). 

    Por mais que eu tenha falado mal aqui hoje, eu estou muito apegada para abandonar. Não abandono nem as séries que não tenho fé e não gosto, imagina as que eu amo e amei por tanto tempo. 
    PLL é minha 5a série predileta, está nos meu TOP 5. A loucura da série é tão grande, que não tem COMO não querer saber que merda toda é essa. Espero de verdade que ela ache uma solução pra sair da corda bamba em que está! Não quero que caia mais posições, e não quero ser mais decepcionada. 
    Só o uso de drogadas pesadas explicaria essa série, que a cada dia mais, tem um roteiro igual ao do Lost (finais e aberturas que são impossível acharem soluções), talvez por isso eu tenha ficado em dúvida de qual gostava mais (claro que lost ganhou essa batalha por questões LÓGICAS e ÓBVIAS), mas espero que PLL não deixe tantos buracos como lost deixou.

    LET'S GO LIARS! SURPRISE ME

    @nati_nina

    segunda-feira, 22 de julho de 2013

    Nurse Jackie.

    Nurse Jackie... Mas uma série deliciosa que eu legendo!
    Comecei a ver Nurse Jackie logo no começo das férias e já terminei as 5 temporadas. Mas até que não foi tão difícil terminar tão rápido, já que cada temporada tem de 10-12 capítulos somente, o que normalmente daria 2 temporadas e meia.
    Eu sabia que ia gostar desde o começo porque por incrível que pareça, eu gosto de séries médicas! Não é a toa que House é meu segundo seriado predileto :)

    Jackie é uma das enfermeiras mais dedicadas aos pacientes do hospital onde trabalha. O interessante dela, é que ela não é a protagonista certinha, que faz tudo certo, pelo contrário. Jackie é toda errada e fodida pra dizer o português claro... Trai o marido, abusa com remédios e alcool e mente pra diabos. Podemos até ver uma relação estreita dela com o Dr. House, mas Jackie mostra muito mais seu lado humanitário em diversas vezes na série do que House, o que é bem parecido é o bom/mal humor dos personagens, o vício em remédio, e a obsessão em salvar pacientes. Claro que Nurse Jackie não pode ser comparada a uma série grandiosa e espetacular como House, nem mesmo os personagens, muito menos os atores, casos, e histórias, mas é sim uma série interessante e gostosa de se ver.
    Jackie além da vida turbulenta no trabalho, precisa cuidar de sua família. Seu marido, Kevin, é dono de um bar e pode ser considerado o companheiro perfeito; compreensível, e dedicado. Tem duas filhas: Grance e Fiona, duas crianças com personalidades diferentes e que vemos total mudança no decorrer dos 5 anos da série, principalmente de Grace quando assistimos algum episódio da primeira e depois algum da 5a temporada.
    Para complicar a vida de Jackie, existe o Eddie, o farmacêutico do hospital. Ele é amante de Jackie, e posteriormente se torna um grande amigo de Kevin.
    A melhor amiga de Jackie, é a Dra. O'Hara (muuuuuuuuito amor, a mais linda de todas). A única a quem ela conta seus problemas e a maioria de suas verdades.
    Finalizando, temos o  Dr. Cooper, um médico que busca ser reconhecido. Fora criado por 2 mães.
    A enfermeira Zoey, pupila de Jackie com pensamentos, atitudes bizarras e engraçadas, que rendem ótimos episódios e algumas risadas.
    Também temos a Gloria, outra personagem engraçada, e que nos chama a atenção em diversos episódios.

    Podemos classificar a série como comédia de humor negro, comovente e engraçada.
    É uma das primeiras vezes em que assisto um programa na qual a protagonista não é uma das prediletas. Não que eu não goste da Jackie, mas teve outros personagens na série que me prenderam muito mais do que ela. E como ela é muitas vezes errada, não tem como não ficar ressentida com ela em algumas situações.

    Duração Episodio: 30 min


    Como não pode faltar em nenhum post de séries, vamos aos meus prediletos:

    Dra. O'Hara
    Linda e maravilhosa, é a minha atriz querida e predileta no seriado. A melhor e mais requisitada médica do hospital, com pouca paciência para tudo e todos, com exceção de Jackie, sua melhor amiga.

    O'Hara é britânica ela admite não se importar tanto assim com seus pacientes. Fala tudo na lata, o que muitas vezes deixam os pacientes assustados, e Jackie sempre conserta com suas palavras calmas. O "mal humor" de O'hara se explica muito pelo fato da mãe ter casado com o namorado dela. 
    Após alguns episódios descobrimos que O'Hara assim como a Thirteen do House joga nos times, e conhecemos a atual namorada dela.
    Ela adora as filhas da Jackie, e sempre se dispõe a ajudar financeiramente até nas escolas das garotas.
    Também no decorrer da série vamos conhecendo o seu lado mais humano, se apaixonando completamente por ela.
    Na 5a temporada ela aparece bem rapidamente em 2/3 episódios, pois não quis renovar mais com a série. Foi de grande falta, e a pior perda para mim no seriado =(

    1a, 2a temporada cabelo lindo e maravilhoso

    3a temporada...

    4a e 5a não curti o cabelo (não curto cabelo pequeno em mulher) ;/



    Zoey
    Zoey começa no hospital como estagiária de Jackie. Entra na enfermagem com sonhos de "salvar o mundo" e ajudar os doentes. Com seus pijamas chamativos e diferentes do resto dos empregados do hospital, ela sempre apela para pijamas rosas com estampas fofas feitas para crianças. Quando está de luto, ela usa azul, como forma de expressar suas emoções.
    Zoey vai crescendo na série como personagem e enfermeira. Suas loucuras e bizarrices dão um certo tom de comédia muitas vezes a série.









    Gloria
    Gloria, mas conhecida como Akalitus, é administradora do hospital. Por anos foi enfermeira do mesmo, trabalhando com Jackie e O'Hara, mantém o hospital funcionando perfeitamente, mesmo com funcionários dizendo que ela é um pé no saco. Ela é engraçada e dinâmica, o riso sai fácil com o seu humor mal humorado. Não há um movimento no hospital que ela não saiba.
    Fica maluquinha da vida quando seus santos da igreja são tomados dela. Católica "fervorosa" mas sempre com humor.



    Kevin
    Kevin é o marido de Jackie, um amor de pessoa, um ótimo companheiro e um ótimo pai.
    Trabalha em um bar, e é completamente apaixonado por Jackie!
    Quando descobre sobre sua mulher (o que demora algumas temporadas), fica muito irritado, pedindo a guarda total das crianças e as fazendo sofrer (ambos) em uma batalha por custódia!

    Não tem como não gostar dele e como não torcer por ele.



    Dr. Cooper
    O famoso Carlisle de Crepúsculo forma o elenco de Nurse Jackie, com um papel TOTALMENTE diferente do que ele faz na história dos vampiros!
    Bonito e charmoso, Cooper vai se tornando competente e um excelente médico no decorrer da série, fato contrário do que apresente na primeira temporada. A evolução é tamanha que sua ambição é se tornar chefe do departamento de emergência, disputando a vaga com a cobiçada O'hara.
    Cooper é carente, sonha em arrumar um amor, casar e se sentir completo. Porém, vai custar um pouco pra ele se sentir assim. 
    É engraçado, e ingênuo, uma pessoa de bom coração, que já teve uma quedinha por Jackie.









    @nati_nina

    TOP 71 melhores séries.

    FINALMENTE saiu!
    O vídeo que eu estava fazendo há mais de um ano, juntando os votos há mais de um ano decidiu dar as caras, e ficou PERFEITO!
    Pra quem gosta de séries, sério, veja se a sua está aí (provavelmente sim), deu muuuito trabalho pra fazer, mas acho que ficou bacana.
    Lembrando, mesmo eu falando no vídeo, que as posições das séries foram votos pelo facebook e pelo getglue, não decidimos as posições.
    E séries novas como: Arrow, The fosters, Switched at birth, não entraram ok? Tiveram poucos votos no começo.

    É isso, confiram, vale muito a pena apesar de extenso.
    Recomendo baixarem do youtube e assistirem na televisão =) 
    Coloquem do começo, o youtube por alguma razão está começando dos 42 minutos.

    ;*

    @nati_nina

    domingo, 21 de julho de 2013

    Define:


    sábado, 20 de julho de 2013

    Corinthians e São Paulo.





    @nati_nina

    sexta-feira, 19 de julho de 2013

    Tripofobia.

      O dia em que descobri em que tinha tripofobia foi na faculdade.
    Meu querido amigo Hugo e a Juju estávamos comentando sobre o quão nojento era a imagem do "pé de maracujá", que já foi compartilhado há um bom tempo no facebook.
      O Hugo vira e fala assim para mim:
      - Quer ver algo nojento também? Vamos ver se você tem estômago. Coloca "Tripofobia" na imagem do google.
      Fui lá, já toda receosa colocar essa merda na pesquisa. Quando cliquei, NOSSA, que NOJO, só isso que tenho a dizer: QUE NOJO. Para mim consegue causar muito mais efeito, horripilância e agonia do que por exemplo do maracujá lá. Para quem não sabe tripofobia é o medo, a agonia de formas geométricas em conjunto. A pessoa que possui esse "mal" ao vizualisar uma sequência estável de formas geométricas automaticamente sente uma imensa sensaçào de repúdio e pavor, podendo incluir náuseas, e até desmaios.
      Eu possuo essa fobia, e quando eu vejo, não é brincadeira. Eu sentia muito quando via alguma colméia, ou casa de marimbondo, eu me arrepiava inteira, e tinha vontade de vômitar, de me coçar inteira. Só que quando pesquisei sobre isso após o Hugo me falar, comecei a reparar muito mais nas coisas, principalmente as figuras geométricas redondas, a gente vai pirando um pouco e achando objetos que antes a gente não via ou reparava, e agora não consegue mais nem olhar ou encarar.
      Aconteceu isso com a parte do exaustor do meu fogão... Quando comentaram que tinha as figuras, eu olhei pra cima e a náusea foi momentânea, hoje consigo ficar pouco tempo na cozinha, pois a curiosidade é sempre maior e acabo olhando e passando mal sempre que posso!
      É uma sensação de repúdio horrível, minha cabeça coça MUITO, como se tivesse coberto de caspa ou piolho, ataca meu nariz, não consigo parar de coçar ele como se fosse algum tipo de rinite monstruosa. Os arrepios da perna são piores do que qualquer chupão no pescoço ou algo parecido. Eu fico enjoada e com o negócio na cabeça durante muito tempo.
    MUITO tempo!
    Agora eu evito sempre olhar as fotos, mas no começo foi muito difícil. Eu ficava olhando e tentando me forçar a não me sentir daquele jeito, mas era meio que impossível! 
      Veja bem, não é como o buraquinho do chinelo crox por exemplo, são imensos buracos e tudo um sobreposto ao outro praticamente.
    Eu não vou colocar nenhuma figura, porque simplesmente não posso ver. Não sei se aconselharia meus leitores a pesquisar sobre isso, mas é interessante. Já mostrei para algumas pessoas, umas não sentem ABSOLUTAMENTE NADA, acham completamente legal, interessante, diferente... Outras ficam chocadas, outras ficam agoniadas, varia muito!
      Eu sei que teve uma noite que mal consegui pegar no sono, no primeiro dia que descobri, porque não conseguia tirar uma imagem em particular da minha cabeça.

    É gente, boa sorte, enquanto eu escrevo isso, eu já estou arrepiada de novo!







    @nati_nina

    Para um dia que começou tão mal, terminou muito bem :) 

    terça-feira, 16 de julho de 2013





    segunda-feira, 15 de julho de 2013

    Melhores fotos da semana.












    @nati_nina

    domingo, 14 de julho de 2013

    O dia em que eu atropelei um cão.

      Pois é, o que eu nunca pensei que acontecesse comigo, aconteceu.
    Ontem, em um querido sábado (a) noite eu finalmente decido sair um pouco de casa e tomar algum ar lá fora. 
    Como não tinha nenhum rolê em mente, decidi sair com a minha irmã e a Jéssica para Av.Nova só para comer algo, beber um refrigerante e botar o papo em dia. Chegando lá, encontro meu querido amigo Vítor com uma amiga e um amigo, então, juntamos a mesa, conversamos, e comemos.
      Algumas horas depois, fui cortejada pelo fofo do amigo do Vítor, e até ganhei uma rosa branca. (Difícil eu ganhar flôr, mas acredite galera, de vez em quando acontecem algumas surpresas). Nos despedimos lá perto da 1:00 da manhã, deixei a Jéssica em casa e voltei para minha 'home' com minha irmã.
      Há uns 80m de casa, uma das piores coisas que poderia ter acontecido comigo, aconteceu! E uma das coisas também que jamais pensei que eu fosse passar... Passando pelo radar de 40km/h do lado do meu prédio, 3 cachorros de rua atravessavam (a) avenida, e um deles ficou, porém, com o cachorro da cor da rua e ficado no chão, eu não o vi, e o atropelei. Bom, na verdade, ele me atropelou, mas cachorro é indefeso, o que podemos fazer? Se não fosse pela irmã do lado ter gritado "AAAAAAAAAAH" depois do ocorrido ter acontecido, eu não teria percebido, e não teria parado o carro. Eu iria pensar que foi um dos vários buracos que tem na avenida de casa ou uma lombada nova, porque nem ouvir o grito do cachorro na hora eu ouvi.
    Quando minha irmã gritou, eu já pensei na hora:
    - Não é um buraco.
    E perguntei pra ela quase chorando já:
    - Eu não atropelei um cachorro, atropelei?
    Ela acenou que sim. Pisei no freio e deixei o carro há uns 30 metros do acidente. Com o coração acelerado e suando pelo corpo inteiro eu sai do carro para ver qual era a situação do bichinho, torcendo em lágrimas que ele não estivesse morto, que o pior não tivesse acontecido.
      Desci do carro, e vi um dos outros cães que segundo a minha irmã estava acompanhado dele latindo em volta dele como se chamasse por socorro (mãe, irmão, pai, não sei), mas o desespero do cão com o que foi atropelado foi tanto, que eu fiquei com mais vontade ainda de chorar.
      Quando eu vi o cãozinho latindo/chorando só com uma perna machucada e sem sinal de sangue aparente, desci a ladeira correndo e pedi para minha irmã descer para me ajudar. A princípio ela não queria com medo que ele tivesse morto, ela iria passar mal. Mas logo quando ela viu que eu estava lá e chegou algumas pessoas para ajudar, ela foi fazer sua parte. Ficamos lá uns 40 minutos, tentando pensar no que fazer. No começo tentamos tirar o cãozinho do meio da avenida, porque é bem movimentada, mesmo sendo na madrugada. Acenávamos principalmente para os ônibus que passavam entrar um pouco pela contra mão, se não de fato acertariam o cãozinho. Mas com mais pessoas chegando, a sinalização ficou melhor. Ele estava LITERALMENTE no meio da avenida.
      O cãozinho devia pesar uns 20 kg, não era leve, e não sabíamos se mordia.Enrolamos ele em um pano, ele babava muito. Estava decidida a levar ele no veterinário que costumo levar o meu gato, não importa o custo. Pensando que não custaria mais do que 600,00 que é o que eu tenho atualmente na conta para passar o cartão no débito... 
      Com a rua toda babada, começou a chegar algumas pessoas mais e mais, tinha no máximo umas 8 até então. Liguei para minha irmã e meus pais correndo e eles desceram e foram me ajudar. Pegamos o cadarço do tênis da minha outra irmã que desceu e amarramos a boca dele para poder remover ele para o carro sem o risco dele morder qualquer um.
    Quando alguém tentava removê-lo do chão, ele ameaçava morder, mostrando que estava com dor quando o mesmo o tirava do chão. Eu comecei a chorar loucamente nessa hora vendo que o bichinho tava com dor.
    Quer dizer, eu nunca nem bati o carro e atropelei um CACHORRO? Eu tava desesperada. Imaginem essa situação acontecer com vocês. Agora multipliquem um caso bem mais complicado, porque eu sou muito emotiva, isso ficaria na minha consciência para sempre e eu fico com remorso, choro por tudo, choro de ver uma pessoa sendo mal tratada, choro horrores vendo um atropelamento, ainda mais sabendo que eu fui "a culpada", ou enfim . . . . Com o cadarço na boca foi mais fácil, colocamos ele no porta mala do carro e eu, meus pais, minha irmã mais nova e meu cunhado fomos para o veterinário 24 horas, um dos que conhecíamos.
      Chegamos lá, e fomos atendidos prontamente. Aparentemente estava tudo ok, deram uma injeção para amenizar a dor e eu chorando há mais de 2 horas... Hoje acordei com os dois olhos roxos de tanto chorar.
      Deixamos ele internado por um dia, para o médico fazer os exames que precisava. Ele queria saber se tinha afetado a bacia, ou quebrado alguma vértebra. A matemática é bem simples, e ele nem precisava dizer: Se fosse a bacia, tudo ok. Ele se recuperaria e voltaria a andar. Se fosse a vértebra, a coisa seria mais complicada e ele não voltaria a andar, ou ficar em pé. (Imaginem a minha dor no coração). Chorei loucamente na sala de espera, e o médico me trouxe a conta da internação, da consulta e tudo mais: Adivinhem? 780 reais. SETECENTOS E OITENTA REAIS.
    Foda-se, eu não estava nem aí, peguei o meu cartão e pedi para passar em 4x, eu só queria que o bichinho ficasse bem. Porém, tinha outro problema. Ele só poderia ficar 24 internado, cada 24 horas era 220,00, não podia pagar outra internação. E onde o cãozinho ficaria depois? Eu moro em apartamento, cachorros não são permitidos, e além de tudo, já tenho um gato.
    Sem contar que não sabia o histórico do cão, nem se era macho/fêmea, provavelmente não era vacinado, e enfim... Simplesmente não dava. Claro que se a casa fosse minha e dependesse somente de mim, eu com certeza ficava com o bichinho, até ele sarar 100% e eu poder achar alguém que pudesse cuidar dele melhor do que eu. Mas infelizmente eu não me sustento sozinha e não mando no meu lar, infelizmente não tinha como.
    Pensamos em várias possibilidades, mas sabemos que é muito difícil achar alguém com braços abertos para uma situação dessas. Claro que tem muitas pessoas como eu que se dependesse somente delas, elas o fariam, mas muitas não o fazem, e não consigo entender o motivo. Muita gente compartilha coisas de animais feridos no facebook, mas não levantam a bunda para ajudar em nada, só compartilhar não salva uma vida, não ajuda um animalzinho. Se quer fazer algo, adote um, doe dinheiro para alguma ong, se voluntarie para algo, tire os animais da rua e para de perder seu tempo compartilhando algo que não é você, que você não faça. Não é bacana, e você não se torna uma pessoa boa com uma passagem para o céu se fingindo de boazinha, ou interpretando a boazinha.
    As suas ações contam pelas atitudes que você toma, pelas coisas boas que você faz e não divulga. 
    "Ah Natascha, mas você está divulgando algo bom que você fez ontem com o cachorro".
    Não, o meu caso é diferente. Eu não fiz nada de bom, eu não fiz nada além da minha obrigação. Fiz o MÍNIMO que eu podia fazer. Ou se fosse você, trocaria para a próxima marcha do carro e deixaria o cão ali, para virar comida de pombo? Não é possível que o coração humano seja tão covarde e impiedoso a ponto disso.
    E fico imaginando, se tem gente que faz isso com animais, imagina aqueles imbecis que atropelam gente e fogem. Sendo sua culpa ou não, a primeira coisa que você precisa fazer, é descer e prestar socorro. Pode não ter sido proposital, ou nem ter sido você a causa do acidente, mas foi a sua roda que passou em cima de uma pessoa. Então... Eu não consigo entender, de verdade. Eu não me imaginaria dormindo (a) noite pensando que eu deixei um ser vivo apodrecendo, quebrado, que eu poderia ajudar e não o fiz. Como a consciência de muita gente aguenta e não arrebenta? Impossível imaginar!
      Bom, pensamos em deixá-lo na viela aqui do lado da avenida, onde ele tinha um pessoal que colocava água e comida para ele, e onde ele tinha a mãe dele. (Sim, ELE, depois descobri que era um macho). E no dia seguinte o levaríamos para uma veterinária que normalmente pega bichinho, isso se ele voltasse a andar...
    Liguei para o veterinário logo que acordei, e ele falou que ele estava estável. Suspirei de alívio, e disse que (a) noite iria buscá-lo.
    Busquei ele, ele estava bem mais calmo, e estava bem. Só um pouco manco na verdade. E o problema era na bacia :'))))) Só que a bacia não costumam mexer, o próprio corpo vai se regenerando, e curando, e que ele até já estava dando passos e tudo mais.
    Pegamos ele, colocamos no porta malas e procuramos uma viela tranquila, perto da avenida que ele costumava ficar... Logo que conseguimos tirá-lo do carro, ele já andou rapidamente até o local que costumava ficar, e o outro cachorro ficou feliz da vida ao ver ele. Soltei um sorriso e me senti bem de ter feito a minha parte.
      É algo que vai me marcar e vou contar aos meus filhos e meus netos, mas sempre sabendo que eu consegui salvar a vida do bichinho a qual tirei a vida.
    Feliz que tenha dado tudo certo, e nunca estive nem aí com o dinheiro que gastei como nessa situação.
      O bem estar da alma, dinheiro nenhum corrompe.

      Só espero nunca mais passar por uma situação agoniante como essa. E fizer sempre o que eu puder para ser sempre quem eu fui, sou e continuarei sendo.

    O cãozinho está ótimo, não foi quase nada grave, mas poderia ter sido. E olha que eu nunca bebi e dirigi. Por isso, você que o faz, pense 2x lendo esse texto, lendo outras histórias e tudo mais! O estrago será sempre pior, e você pagará muito mais, com a justiça e sua consciência.

    M o v e  o n!



    @nati_nina

    sábado, 13 de julho de 2013

    Quando a gente pensa alto . . .

       Ontem deitei a cabeça no travesseiro e demorei para pegar no sono, o que não é novidade nenhuma, já que sofro de insônia há um bom tempo . . . Mas não queria tomar remédio novamente para dormir, para não se tornar um vício constante, e parei para pensar:
    "Talvez boa parte de mim queira sempre tomar os remédios para pegar em cinco minutos no sono e não rodear minha cabeça de merda, e o que eu não devo pensar". 
    Porque querendo ou não é sempre assim, no começo da manhã trabalhamos, temos academia, a noite faculdade e coisas para se ocupar. Mas chega a maldita noite, aquela maldita hora em que você para e respira, em que você não faz nada a não ser esperar... Esperar o sono chegar! E com isso, chegam pensamentos, muitas vezes indesejáveis, pessoas, muitas vezes querida, mas que você não tem vontade, não quer pensar. Então, talvez 20% do meu eu tome os remédios para eu não ter aquela dor no coração pensando em quem eu não quero.
      

      Ontem naquela maldita hora em que eu esperava o sono vir sem a ajuda de um medicamento (no caso, o lioram) lá veio o 'ser' com que eu fiquei há cerca de um ano. DE NOVO, e DE NOVO, e DE NOVO.
    E eu juro que eu não me conformo com isso.
    Imagine a seguinte situação: Você conhece alguém na internet, começa a falar com a pessoa, os dois começam a se dar bem. Começam a se falar todos os dias pelos meios sociais, por mensagem de celular, whatever, e decidem marcar um encontro. Parece que o dia nunca vai chegar, mais chega. Vocês se curtiram. That's all ... Marcam um segundo "encontro" (ainda usam essa palavra)? E sei lá, de repente você começa a colocar um sorriso no rosto todos os dias, e fica naquela fase boba de "o que está acontecendo"? "Preciso sair mais cedo da aula só para falar com fulano(a)". 
    Vamos esclarecer algo... Imagine você ficar assim, antes do tal encontro, sem ao menos conhecer a pessoa. ÓTIMO né? Não!
    E quando você encontra a pessoa, ela era tudo aquilo que você esperava, e mais um pouco. Dá tudo certo. Parece que sei lá... Você nasceu de novo, e as coisas finalmente estão entrando nos eixos. (Mas não estão).
      Marcam um terceiro encontro, e nessa altura do campeonato você já pensa demais na pessoa, gosta da pessoa, tem carinho por ela, e infelizmente se apressa e pensa alto. Estraga tudo!
      Ainda que você estrague tudo, não é meio paranóia ou coisa de gente maluca se apegar, e gostar tanto de alguém que você viu no máximo 5/6 vezes e saiu umas 3?  CALMA, essa não é a loucura maior. A loucura maior é: A pessoa virou a página assim como no texto anterior que eu escrevi, começa a namorar, termina, que seja. . . Passa-se um ano, UM ANO, e você ainda pensa naquela pessoa que você saiu no máximo TRËS vezes. Mas que quando você viu pela primeira vez... Não, não... Sem ao menos ver uma vez, você sabia que ela era diferente das outras e poderia fazer parte da sua vida.
      Um ano (praticamente) não é tempo o suficiente para esquecer alguém com quem nem tínhamos tanto contato? Um ano não é o suficiente para tirar da cabeça que ele não era "o tal" apesar de todo o seu corpo, sua mente, seja lá o que for dizer ao contrário?
      Por que pensar tanto (AINDA) em alguém que já ficou tão pouco tempo, foi embora e não está mais aqui?
    Certas coisas eu nunca vou entender. Principalmente minha falta de interesse em dar novas chances, abrir o coração, mas o que nunca vou entender sobre mim, é porque quando eu coloco uma pessoa na cabeça, eu demoro tanto tempo pra tirar da cabeça, e do coração...
      O pior de tudo, é saber que você fez muita coisa que leva as pessoas a tomar decisões que te arrasam ...
    Eu nunca vou esquecer, que na tentativa de tentar alguma aproximação novamente, eu tinha tomado o lioram (esse tal remédio de dormir que de vez em quando é necessário na minha vida, mas com efeitos colaterais, lógico), eu mandei uma mensagem tão podre pra pessoa, tão podre, tão podre, que quando eu vi no dia seguinte o que eu tinha mandado, eu tive vontade de dar uma surra em mim, em enfiar minha cabeça dentro da parede e pedir para alguém acimentar aquela bosta com a minha cabeça dentro... 
    O foda é que esse remédio é pior e mais fatal do que qualquer bebida... Quando você bebe, você sabe sim o que você faz, esse remédio não, parece que você sai do seu corpo e outra pessoa passa a comandá-lo. Você não lembra de nada, a não ser no dia seguinte quando falam alguma coisa, te respondem e você fica fazendo. No máximo vem uns flashes na cabeça (e se você estiver duvidando, por favor, EXPERIMENTE).
    Eu sei disso, porque até falei para uma garota transar comigo.
    UMA. MULHER.
    UMA. AMIGA.
    QUANDO LI FIZ
    QUÊÊÊÊÊÊÊÊÊ?

    Pra piorar, mandei uma mensagem há um bom tempo pra ele, creio que no começo do ano, falando algo que se ele não respondesse os "darth vaders" (star wars) iam morrer?????????????????????????
    GENTE SÉRIO COMO?
    Depois desse dia em diante, exclui a pessoa para não passar mais esse vexame nunca mais na minha vida, e não poder mandar nada quando eu estivesse nesse meu estado, e também passei a deixar meu celular com a minha mãe quando eu tomasse o lioram, e também aprendi a tomá-lo só em último dos casos.
    But... Anywhay...


    Se eu tivesse UMA coisa para mudar na minha vida TODA. Algum arrependimento, algo que eu pudesse voltar lá atrás e apagar, seria só uma: Ter feito o ask.fm.



    @nati_nina

    TWD 

    @nati_nina

    @nati_nina